Chris de Burgh

Para acompanhar a letra clique no desenho da folha dentro do player. Para assistir os vídeos disponíveis veja se a câmera dentro do player aparece e clique nela. Para ouvir as músicas na ordem original, clique em Ordenação original. Divirta-se com as nossas rádios on line.  


 

Chris de Burgh
Chris de Burgh (Abril de 2008)
Informação geral
Nome completo Christopher John Davison
Nascimento 15 de outubro de 1948 (63 anos)
Origem Venado Tuerto, Santa Fé
País  Argentina
Gêneros Pop, rock, balada, rock progressivo,soft rock,Art rock
Instrumentos Voz, piano, guitarra
Período em atividade 1974 - presente
Gravadora(s) A&M Records,Ferryman Productions,Edel Records
Página oficial

Minha Vida

Breve Histórico
www.cdeb.com

http://pt.wikipedia.org/wiki/Chris_de_Burgh


Filho de pais ingleses, mas nascido em Buenos Aires, seu nome de nascença é Christopher John Davison. Quando criança morou em muitos países, por causa da carreira do pai, até se fixar na Irlanda, onde seu pai transformou um castelo em hotel. Quando começou a se apresentar, ainda em seu colégio em Dublin, ele decidiu usar o sobrenome da mãe como cantor e compositor. 
Em 1974, Chris assinou contrato com a A&M Records, para dar suporte na turnê Crime of the Century do Supertramp. Com essa oportunidade, ele começou a construir sua própria carreira e arrebanhou alguns fãs. No mesmo ano, debutou seu primeiro álbum, Far Beyond These Castle Walls, o estilo era o folk rock, com um toque de fantasia embalado pelo estilo dos The Moody Blues, banda que fez sucesso anos 60. Infelizmente, o trabalho não teve repercussão. Em julho de 1975, foi lançado um single de uma música do álbum, ''''Flying''''. Lá nas terras de vossa majestade Rainha Elizabeth II no entanto, ninguém deu atenção, mas, aqui no Brasil ficou no topo por 17 semanas. Isso se tornou uma constante na carreira do cantor, nos anos 70, seus trabalhos não faziam sucesso na Inglaterra ou na América do Norte, mas, sim, na Europa e em países latino-americanos. 
O sucesso na Inglaterra, só veio em 1981, com o álbum "Best Moves", um apanhado das canções produzidas até então. Em 1982, ele entrou em estúdio com o produtor Rupert Hine, e produziu, "The Getaway", que ficou entre 40 na Inglaterra e nos Estados Unidos, graças à música ''''Don''''t Pay the Ferryman''''. 
A fama mundial e o reconhecimento até em terras de reis e rainhas, veio em 1986, com a lânguida canção, ''''The Lady in Red'''', a música ficou no primeiro lugar na Inglaterra e em terceiro na América. O álbum do qual ela fazia parte, Into the Light, alcançou a segunda posição na Inglaterra, e o 25º lugar nos EUA. O álbum seguinte, de 1988, "Flying Colours", chegou ao primeiro posto na Inglaterra, mas, sem maior impacto nos EUA. 
O sucesso obtido nos EUA, nunca voltou a acontecer. Mesmo sem conseguir tanta notoriedade na década de 90, sempre manteve seu público cativo. Em 2002, lançou "Timing is Everything", em 2004, "The Road to Freedom", e "Live in Dortmund", foi lançado em junho de 2005 na Inglaterra e em julho na Europa.